Eu, o poder político e os “Job for the boys”

Eu, o poder político e os “Job for the boys”

DIRIGENTE_CRSS.Norte

Conforme poderão constatar pelo anexo, o filho da Arminda “padeira”, foi indigitado logo após as legislativas, para candidato a dirigente da Segurança Social Norte.

Naturalmente, tal não aconteceu pela afinidade política. Pois, apesar de já ter participado ativamente na elaboração de determinados instrumentos políticos, designadamente, programa político, declaração de princípios e estatutos, nunca foi em correlação com os partidos mais expressivos. Tudo faz transparecer, que o PSD pretendeu transmitir uma aparente derrogação da tipicidade “Job for the boys”! De facto, e na salvaguarda de opinião mais avalizada, ele é um “boy”, com um curriculum difícil de igualar, sem afinidade política vincada, mas filho da Arminda padeira e do Zé Maria carteiro.

Pouco tempo após o empossamento do XXI governo constitucional, presidido por António Costa, mais precisamente no passado dia 16 do corrente, consta do anexo, que se traduz em e-mail enviado pela Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública, abreviadamente designada CRESAP, que a tutela escolhera outro candidato.

Tal como vulgarmente transmito “sou pau para toda a colher, mas nem toda a colher serve para a minha sopa“.

Por outras palavras, o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, baseado em falsos pressupostos, ou seja, depreendendo que o filho da Arminda e do José teria ampla afinidade com o PSD, revogou a anterior decisão.

Ora, pretendemos deixar a qualquer executivo de Portugal a seguinte mensagem:

  • Aprendemos com os modelos de Weber, de Denhardt, com o americano, e preconizamos um modelo baseado na meritocracia. Como tal, vamos dar-lhe cumprimento e trabalhar consentaneamente às expetativas sociais. Já não será com toda a verossimilhança para o filho da Arminda e do José! Mas prospetivamente optem pelo melhor independentemente da cor política.

Sobre Antonio Soares da Rocha

Antonio Soares da Rocha
O autor tem uma experiência superior a 30 anos como funcionário da Autoridade Tributária, passando por todas as metamorfoses da carreira até ocupar funções de jurista e representante da Fazenda Pública. Em período precedente estivera ligado ao setor das telecomunicações, à mediação e direito dos seguros. Terminou a licenciatura em direito na Universidade Lusófona. Adquiriu a qualificação de Mestre em Direito na Universidade Católica com a defesa da tese na área do Direito Fiscal, e publicada pela editora daquela Universidade em Portugal e Brasil. Investigador da Universidade do Minho, defendeu como congressista temas científicos em universidades de renome. É autor de algumas obras com edições continuadas, designadamente “Oposição vs Impugnação Judicial”, “O Essencial sobre o Arrendamento Urbano”, “Minutas e Formulários – Anotados e Comentados” e "A Demanda e a Defesa nas Execuções Cíveis e Fiscais". Em termos desportivos, é praticante de Karate Goju-Ryu e treinador reconhecido pelo IPDJ. Embora tenha iniciado essa prática com referência à linha do Mestre Taiji Kase, viria a ser consagrado cinto negro na vertente de Karate Shotokan pelo Mestre Hiroku Kanazawa em 1999, e posteriormente, pelo estilo que ora pratica, da linha Okinawa Goju-Ryu Karatedo Kyokai.

Veja Também

O Karaté e o pseudoexotismo

Tweet Email Tweet EmailO desporto, pese embora a sua diversidade, não é menos importante que ...