SALAZAR – “Unidos em Prol da Nação”.

SALAZAR – “Unidos em Prol da Nação”.

Para evitar comentários da mais diversa índole, sobretudo os desagradáveis, divulgo digitalizada uma edição de 1947, sob a epígrafe “Unidos em Prol da Nação”, proveniente de uma coletânea intitulada “O Pensamento de Salazar”, PURA E SIMPLESMENTE PARA EFEITOS CULTURAIS.

Algumas destas edições encontram-se na biblioteca do Arquivo Intermédio e Histórico do Porto da Administração Tributária e Aduaneira.

Chamo particularmente a atenção para as páginas 12 e 13, capítulo III, donde consta inicialmente ipsis verbis o seguinte: “«Regime sem partidos» – equivale a «governo sem política» ? A pergunta parece ociosa e no entanto a resposta necessita de algum esclarecimento.”

(…) e continua na mesma página um pouco abaixo:

Chamaremos «governo» à direcção superior de uma colectividade nacional, direcção que se exerce pela definição dos objectivos a alcançar e pela diária revolução dos problemas em que os mesmos objectivos pràticamente se desdobram.”

E dá seguidamente na página 13 a definição de política “Chamaremos «política» o conjunto de meios de natureza individual ou colectiva, pelos quais a consciência pública é levada a um estado de adesão ou simples conformidade com aqueles objectivos e colabora com o Poder na sua realização“.

(O Bold foi acrescentado, como poderão compulsar pelas páginas digitalizadas)

A ILAÇÃO FICA AO LIVRE ARBÍTRIO DE CADA LEITOR.

SEGUE A DIGITALIZAÇÃO NA ÍNTEGRA::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Sobre António Maria Barbosa Soares da Rocha

António Maria Barbosa Soares da Rocha
O Autor obteve o grau de Doutor em Direito pela Universidade de Salamanca (Derecho Administrativo, Financiero y Procesal), no programa de doutorado "Administración, Hacienda y Justicia en el Estado Social", com a tese subordinada ao tema «O representante da Fazenda Pública no Processo Tributário». Como investigador, defendeu temas científicos em universidades de renome, designadamente no I Congresso de Investigadores Lusófonos e no I Congresso de Derecho Transnacional. Consagrou-se Mestre pela Universidade Católica na área do Mestrado Geral em Direito, com a defesa da tese subordinada ao tema «Oposição Vs Impugnação Judicial», publicada pela editora daquela Universidade em Portugal e Brasil. Terminou a licenciatura em direito na Universidade Lusófona, embora a tivesse iniciado na Universidade de Coimbra onde concluíra o 2.º ano de direito. É blogger e youtuber, autor das obras com edições continuadas “Oposição Vs Impugnação Judicial”, “O Essencial sobre o Arrendamento Urbano”, “Minutas e Formulários - Anotados e Comentados” , “A Demanda e a Defesa nas Execuções Cíveis e Fiscais” e "Manual do Regime Jurídico do Arrendamento - A Narrativa, a Ciência, o Pragmatismo e o Pleito, no Arrendamento". O autor tem uma experiência superior a 30 anos como funcionário da Autoridade Tributária, passando por todas as metamorfoses da carreira até ocupar funções que se coadunam essencialmente com o direito. Em período precedente estivera ligado ao setor das telecomunicações, e de forma mais acentuada à mediação e direito dos seguros. Em termos desportivos, é praticante de Karate Goju-Ryu e treinador reconhecido pelo IPDJ. Embora tenha iniciado essa prática com referência à linha do Mestre Taiji Kase, viria a ser consagrado cinto negro na vertente de Karate Shotokan pelo Mestre Hiroku Kanazawa em 1999, e posteriormente, pelo estilo que ora pratica, da linha Okinawa Goju-Ryu Karatedo Kyokai.

Veja Também

Karate – Okinawa Goju-Ryu Karatedo Kyokai

Tweet Email Tweet EmailI – Intróito Nem sempre é fácil coadunar as peculiaridades de autor ...

2 Comentários

  1. A historia um dia irá repor este português no lugar que merece , o tempo se encarregará disso , pena tenho que já não irei ver tal coisa , não se esqueçam que as maiorias são por natureza silenciosas , uma coisa é certa desde 74 animação não nos falta !

  2. rochasbma

    Pena é, que o Sr, seja mais um dos cobardes portugueses. Lamento…, mas entendo que continue a ter medo da repressão, num país que se considera democrata, mas onde nunca existiu tanto fascismo. Por favor, retrate-se. Tenha hortaliça suficiente para assumir a sua posição. Deste modo, o seu comentário não vale nada. O Sr. é mais uma das pessoas que faz os outros perder tempo com atos inúteis, quando é comprovadamente o maior dos inúteis.
    Aproveito no entanto, para acrescentar, para quem ainda não entendeu, que apenas quis narrar a história, e ser um contributo válido para as gerações vindouras, pois apenas se aprende com os erros do passado e não com presumíveis erros vindouros.